As manifestações clínicas mais conhecidas da doença de Parkinson ( DP ) são os sintomas e sinais motores, que constituem a tétrade parkinsoniana:  lentidão de movimentos (bradicinesia),  aumento do tônus ( rigidez),  tremor de repouso e instabilidade postural.

Entretanto existem os chamados sintomas não motores (SNM) que são frequentes e também contribuem para a perda da capacidade física e reduzem a qualidade de vida.

Estes SNM podem surgir antes dos sinais motores, na fase pré-clínica, como por exemplo: diminuição do olfato (hiposmia), depressão, intestino preso (obstipação) e distúrbios do sono da fase de movimentos oculares rápidos (a pessoa fica inquieta e pode até agredir).

Os SNM que surgem em 10 a 20% são delusões (idéias errôneas de perseguição, de roubo, etc), náuseas e vômitos, inchaço nos pés. De 20 a 40%, alucinações (ver coisas que não existem como bichos, pessoas), ilusões (ver uma coisa e achar que é outra, um ponto na parede  confunde  com inseto), dificuldade para engolir, quedas, sonolência de dia, sonhos vívidos, salivação.

Com incidência de 40 e 50% tem-se intestino preso, aumento de suor, apatia, dificuldades sexuais, tonturas, insônia.  Mais do que isso são dores difusas, pernas inquietas, déficit de memória.

Os SNM mais frequentes são ansiedade, urgência urinária, micções noturnas e depressão.

Alguns parkinsonianos pode ter hipotensão postural (queda da pressão ao levantar ou ficar de pé, com sensação ou mesmo perda de sentidos )e poucos poderão evoluir para demência.

Os SNM vão progredindo e surgindo novos durante a evolução da doença.

Os SNM podem não ser relatados pelos pacientes ou familiares, por constrangimento, por não saber que fazem parte da doença ou por não acha-los importantes. O médico também pode não perguntar embora os SNM tenham influência na qualidade de vida.

É importante também identificar os SNM porque muitos podem ser provocados ou agravados pelos medicamentos que tratam a DP e alguns melhoram tratamento específico.

Texto baseado em: 1. Barbosa ER. Non-motor symptoms in Parkinson´s disease. Arq Neuropsiquiatr 2013; 71:203-204. 2. Cosentino C et al. Frequency of non-motor symptoms in Peruvian patients with Parkinson´s disease. Arq Neuropsiquiatr 2013; 71:2016-2019.