Movimento, lentidão e rigidez podem ser difíceis quando você vive com a doença de Parkinson (DP). Lentidão pode fazer se sentir como se estivesse com fraqueza muscular. Fazendo exercício físico regularmente, é possível melhorar a mobilidade geral e a qualidade de vida.

Qual é o papel do exercício na DP?

O exercício é uma atividade física estruturada, repetitiva e planejada. É um complemento ao tratamento com  medicamentos, cirurgia, fisioterapia e terapia ocupacional. Programas de exercícios podem ajudar a permanecer ativo e melhorar as atividades de vida diária. Definir sempre as metas quando for realizar exercícios. É importante para os pacientes a realização de exercícios durante o período ‘on’ (ligado) sempre  quando possível.

Qual o benefício exercício para a memória?

O cérebro pode formar e reorganizar as ligações com neurônios, o que é conhecido como neuroplasticidade. Há algumas evidências de que o exercício possa melhorá-la. Exercício ajuda na atenção, no pensamento e na memória. As atividades físicas podem beneficiar áreas do cérebro relacionadas com a aprendizagem. Este efeito é mais evidente nas fases iniciais da doença. Uma maneira aumentar o benefício do exercício é com a realização de tarefas de atenção, como caminhar e fazer um teste de memória ao mesmo tempo.

O que mais pode melhorar com exercício?

Os pacientes queixam-se frequentemente de dificuldades em andar, mobilidade, postura e equilíbrio com o avanço da PD. Estes sintomas também melhoram com o exercício. O risco de quedas reduz com exercício. O exercício também pode ter um impacto positivo sobre a aparência física, humor e interações sociais. O paciente ganha um aumento da força do braço e das pernas, assim como a sua flexibilidade muscular.

Que tipos de exercícios são recomendados?

Não há um tipo de exercício melhor do que outro. A coisa mais importante é fazer exercício que a pessoa goste e que vai dar continuidade. Deve-se evitar os que possam ter o risco de cair. Os exercícios mais indicados para os portadores de DP são:

-tai chi chuan: ajuda na manutenção de uma boa da postura e no controle do centro de gravidade, reduzindo o risco e número de quedas.

-dançar tango: esta atividade promove a coordenação com um parceiro, consciência espacial e capacidade de se concentrar.

-exercício em uma esteira: atua agilizando o modo de andar, trocar passos e executar a marcha. Aumenta a velocidade, o comprimento do passo, o equilíbrio e o ritmo da marcha.  Deve-se ajustar a velocidade e a inclinação para tornar este exercício mais eficaz. No entanto, é importante ter cuidado com queda.

-bicicleta fixa e ciclismo: incrementa a velocidade e a agilidade da marcha.