A Enfermagem é a ciência do cuidado reconhecida mundialmente desde a segunda metade do século XIX, quando Florence Nightingale acrescenta atributos a um campo de atividades de cuidado à saúde desenvolvidas, milenarmente, por indivíduos ou grupos com diferentes qualificações e em diferentes cenários. Com Florence, o cuidado ganha especificidade no conjunto da divisão do trabalho social, é reconhecido como um campo de atividades especializadas e necessárias/úteis para a sociedade e que, para o seu exercício, requer uma formação especial e a produção de conhecimentos que fundamentem o agir profissional (PIRES, 2009, p. 740).

No campo da evolução tecnológica e das nuances que a circundam, o conhecimento substantivo da Enfermagem, tem sido desenvolvido através de várias correntes filosóficas e teóricas, que em um grande esforço através da história, tem perseguido o crescimento e aprimoramento deste conhecimento, assumindo novas responsabilidades, sistematizando os cuidados e, consequentemente, adquirindo maior respeito e autonomia (BARRA et al., 2006, p. 424).

No Instituto de Neurologia de Goiânia (ING) a enfermagem está presente em áreas administrativas, gerenciais, e todos os níveis assistenciais e de complexidade, como classificação de risco, cuidados de urgência/emergência, clínicos, intensivos, perioperatórios, prevenção e controle de infecções, auditoria e núcleo de segurança do paciente e qualidade.

A equipe de enfermagem do ING conta com 220 colaboradores, sendo 188 técnicos e 32 enfermeiros, sendo que 11 destes são especializados em unidade de terapia Intensiva, 5 em centro cirúrgico e centro de material e esterilização, 2 em Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, 2 em auditoria, 2 em saúde pública, 2 em saúde mental e outro em nefrologia, do qual duas são doutorandas e outros dois mestrandos, e os demais buscam continuadamente o aperfeiçoamento profissional e novos conhecimentos.

O ING também oferta práticas de ensino, capacitação e pesquisa, com trabalhos científicos publicados, e contribui para o desenvolvimento de profissionais, sendo campo de estágio curricular, e em parceria com o Instituto Evaldo Lodi (IEL) disponibiliza vagas para estágio extracurricular remunerado em enfermagem, contemplando atualmente instituições como: Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Faculdade União de Goyazes, Faculdade Uni-Anhanguera e Faculdade Estácio de Sá.

A equipe de enfermagem desta instituição, referência em neurologia, epilepsia e especialidades em geral, exerce um papel importante nos atendimentos de acidente vascular cerebral urgente, na monitorização de crises epilépticas e na assistência ao paciente com esclerose lateral amiotrófica, buscando também um cuidado de qualidade e integral ao paciente, de forma humanizada, pautada em conhecimentos técnico-científicos e na segurança do paciente.

 

REFERÊNCIAS

 

BARRA, D. C. C. et al. Evolução histórica e impacto da tecnologia na área da saúde e da enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 8, n. 3, 2006, p. 422-30. Disponível: <https://www.fen.ufg.br/revista/revista8_3/v8n3a13.htm>. Acesso em: 29 ago. 2019.

 

PIRES, D. A enfermagem enquanto disciplina, profissão e trabalho. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 62, n. 5, set.-out., 2009, p. 739-744. Disponível: <https://www.redalyc.org/pdf/2670/267019597014.pdf>. Acesso em: 29 ago. 2019.