A cirurgia bariátrica não é um procedimento que faz milagre, é apenas o início de uma mudança de vida que inclui o aprimoramento dos hábitos alimentares. Em até dois anos após a cirurgia o paciente ainda pode continuar a perder peso. Quando o processo de redução se estabiliza, o paciente precisa se atentar para o não ganho de peso, se esforçando para a manutenção da forma física alcançada. Mantendo uma dieta equilibrada e prática regular de atividade física, a saúde e o bem-estar serão consequências. O paciente que faz uso de bebida alcóolica e fuma, segundo Dr. Oscar Barrozo, apresenta risco maior para complicações na realização de qualquer procedimento, de tal modo que o ideal é que se pare de fumar e de beber para se submeter à cirurgia bariátrica. “A nicotina dificulta a cicatrização da pele, contribuindo para o aparecimento de infecções. Já o uso de bebidas alcóolicas agride as mucosas do estômago e do intestino, contribuindo para a redução da absorção de alguns nutrientes”, argumenta o cirurgião bariátrico. “O álcool é absorvido rapidamente após a cirurgia, podendo causar embriaguez com pequenas quantidades”, completa.