A Neuropsicologia é a ciência que estuda a relação entre o cérebro e o comportamento, uma área de interface entre a Neurologia e a Psicologia. De um lado há o estudo do sistema nervoso e de outro há a análise do comportamento humano e dos processos psicológicos.

A Neuropsicologia estuda e compreende como o cérebro influencia em nossas funções cognitivas e comportamentais.

Surgiu no final do século XIX e início do século XX, atendendo a uma demanda que era  avaliar as lesões cerebrais e alterações comportamentais e cognitivas em soldados feridos durante a guerra.

A avaliação neuropsicológica consiste na aplicação de técnicas de entrevistas e de exames quantitativos e qualitativos, através de testes padronizados, a fim de auxiliar no diagnóstico e na compreensão das perdas funcionais, bem como das funções preservadas para estabelecer uma intervenção adequada.

A importância da avaliação neuropsicológica nas epilepsias consiste na possibilidade de estudar as relações entre as descargas paroxísticas e/ou lesões cerebrais localizadas e as funções cognitivas. A interpretação dos achados neuropsicológicos auxilia na determinação da lateralidade da disfunção cerebral e também fornece informações de natureza topográfica, ou seja, na localização das disfunções.

É uma ferramenta importante na avaliação pré-cirúrgica em pacientes candidatos a cirurgia de epilepsia para o controle das crises, podendo estabelecer os possíveis riscos e sequelas, principalmente no que se refere a memória e a linguagem, bem como permitir uma comparação com base quantitativa e qualitativa entre os períodos pré e pós-operatório. Os testes neuropsicológicos podem influenciar inclusive na decisão de se realizar ou não a cirurgia.

As epilepsias têm diversas manifestações clínicas e comportamentais e a avaliação neuropsicológica, dentro de um procedimento clínico de diagnóstico e prognóstico, contribui para a compreensão multidisciplinar do caso em estudo.

Por Telma Maria Campos- Psicóloga- CRP 456